LEM News - Notícias que realmente interessam!
(77) 9.9906-1346
DESTAQUES DO LEM NEWS

Sequestrado poucas horas após o nascimento, na maternidade do Hospital Santa Lúcia, no Distrito Federal, Pedro Junior Rosalino Braule Pinto é um dos advogados do escritório de Brasília que faz a defesa do senador Aécio Neves (PSDB-MG), investigado na Operação Lava Jato. Pedrinho, como ficou conhecido, reencontrou a família aos 16 anos. Hoje, com 31, é casado e pai de um menino de 5 anos.

o advogado Pedro Pinto contou que atua há 13 anos em um dos mais renomados escritórios de advocacia de Brasília, e confirmou que faz a defesa do senador afastado, Aécio Neves. Mas, segundo ele, não está à frente do processo.

Pedro destaca que por ser um homem reservado, os amigos e colegas de trabalho não costumam perguntar sobre a história familiar.

“Já faz muito tempo, comecei como estagiário do escritório, mas todos sabem, sim, da história. Nas ruas, as pessoas me reconheciam mais, hoje é pouco, já faz muito tempo.”

Em novembro de 2002, Pedrinho reencontrou os pais biológicos, Jayro Tapajós e Maria Auxiliadora Braule Pinto, mas continuou morando em Goiânia com as irmãs. Somente um ano depois ele se mudou para Brasília, onde passou a viver com Jayro, Maria Auxiliadora e os irmãos biológicos. Durante esse período, ele se formou em Direito pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub).

Pedro disse que mesmo após a ampla divulgação do caso, ainda mantém contato com Vilma Martins, que está em liberdade condicional. E contou que Vilma já conhece o seu primeiro filho.

“Moro em outra cidade, mas mantemos contato sim.”

Em 2004, o juiz Paulo Eduardo Nori Mortari, da Vara de Registros Públicos de Brasília, atendeu ao pedido de Pedrinho, e cancelou o registro feito em Goiânia por Vilma Martins Costa. O menino, até então registrado como Osvaldo Martins Borges, passou a usar nome escolhido pelos pais biológicos, Pedro Pinto.

Caso Pedrinho

O caso Pedrinho comoveu o país quando ele foi sequestrado, poucas horas depois de nascer, no dia 21 de janeiro de 1986, em uma maternidade privada de Brasília. A imprensa divulgou amplamente o crime. Mesmo com o passar dos anos, os pais biológicos da criança, Jayro Tapajós e Maria Auxiliadora Rosalina Braule Pinto, nunca desistiram de procurar o filho. Mais de uma década depois do sequestro, as fotos do bebê foram publicadas em vários sites de pessoas desaparecidas.

Foram várias pistas falsas. Até que, em 2002, Vilma Martins foi reconhecida como a sequestradora do bebê que ela registrou como filho e deu o nome de Osvaldo Martins Borges Júnior, em Goiânia.

O crime só foi descoberto porque Gabriela Azeredo Borges, neta do marido de Vilma, começou a desconfiar que Osvaldo era o recém-nascido sequestrado em Brasília. Ela viu a foto do menino no site SOS Criança, órgão da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, notou semelhanças e começou a investigar o caso pela internet.

Ao acessar o site Missing Kids, ela encontrou uma foto do pai biológico de Pedrinho e também o achou parecido com Osvaldo. Em outubro de 2002, Gabriela ligou para o SOS Criança de Brasília e a polícia retomou as investigações do caso.

Um exame de DNA comprovou a suspeita de Gabriela e desmentiu a versão que Vilma sustentava, de que a criança havia sido entregue ao marido – já falecido na época das denúncias - por um gari, em Brasília.

Condenação

Vilma Martins foi condenada, em 2003, a 15 anos e nove meses de prisão por subtrair Pedro Rosalino Braule Pinto, o Pedrinho, e Aparecida Fernanda Ribeiro da Silva, retirados de maternidades de Brasília e Goiânia em 1986 e 1979, respectivamente.

Em junho de 2008, ela ganhou o direito de cumprir pena em regime aberto. Em agosto daquele ano, depois de ter cumprido um terço da pena, Vilma obteve a liberdade condicional.

A pena imposta à ex-empresária chegaria até 2019, mas Vilma terminou de cumpri-la sete anos antes do previsto. Segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), ela foi beneficiada por três comutações de pena consecutivas, em 2009, 2010 e 2011.

Em 2014, a assessoria explicou que a comutação de pena ocorre por decreto presidencial no fim de cada ano. Para consegui-la, Vilma teria atendido critérios objetivos, como tempo mínimo de cumprimento da pena, e subjetivos, como bom comportamento e não reincidir no crime.

Caso Roberta Jamilly

No decorrer das investigações sobre o caso Pedrinho, a polícia descobriu que Vilma também havia sequestrado outra criança, registrada por ela com o nome de Roberta Jamilly Martins Borges.

Usando a saliva que a garota deixou em uma ponta de cigarro quando foi prestar depoimento na delegacia, a Polícia Civil solicitou um exame de DNA, sem o consentimento dela, e confirmou que ela não era filha biológica da ex-empresária. O nome verdadeiro da jovem era Aparecida Fernanda Ribeiro Ribeiro da Silva, retirada ainda recém-nascida da mãe, Francisca Maria Ribeiro da Silva, em uma maternidade de Goiânia.

Na época da descoberta, Roberta Jamilly conheceu a mãe biológica, mas, ao contrário de Pedrinho, preferiu continuar morando com Vilma Martins.

Fonte: G-1

A Agência Espacial Americana (Nasa, na sigla em inglês) informou nesta quarta-feira (31), seu plano de lançar pela primeira vez uma sonda em direção à superfície do Sol com o objetivo de colher dados para entender a atividade da estrela.

"Localizada em órbita a cerca de 4 milhões de milhas da superfície do Sol e diante de um calor e uma radiação jamais enfrentados por outras aeronaves na história, a sonda explorará a atmosfera externa do astro e fará observações que poderão responder a perguntas de décadas sobre o funcionamentos das estrelas", afirmou a Nasa em comunicado divulgado pelo jornal americano USA Today.

A Nasa dará mais detalhes sobre missão em uma entrevista coletiva ao meio-dia, no horário de Brasília. A Nasa TV transmitirá o anúncio.

Fonte: FOLHA VITRIA

Fonte: Lem News

Deputados baianos, membros da Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembleia Legislativa da Bahia, realizaram na tarde desta terça-feira (30) uma sessão itinerante, durante o primeiro dia da Bahia Farm Show 2017, em Luís Eduardo Magalhães. O encontro, comandado pelo presidente da Comissão, deputado estadual Eduardo Salles, se transformou em um espaço de diálogo entre os produtores do oeste e o legislativo. Na ocasião, foram apresentadas as principais demandas de interesse do setor agrícola, como a disputa territorial na divisa entre a Bahia e Tocantins, por exemplo. Esta é a segunda vez que a Comissão promove uma reunião dentro da feira.

 

Pioneiro na região, ao ter se instalado na região há 37 anos, o produtor Odacil Ranzi aproveitou a presença dos parlamentares e cobrou uma ação mais efetiva do governo do Estado para resolver a questão da disputa territorial na divisa entre os estados da Bahia e Tocantins. “É preciso que o Estado esteja mais presente nesta área e ofereça mais apoio aos agricultores. A Bahia tem que abraçar aquela região e levar mais educação, saúde, energia e estrada para aqueles que morem e produzam por lá”, reivindicou.

 

Com o esforço dos agricultores, por meio das associações e sindicatos dos produtores rurais, foram realizados levantamentos com os registros e nomes das fazendas, desde a localidade de Roda Velha até a localidade de Panambi, para identificar o interesse e o desejo daqueles que estão instalados nas áreas de disputa territorial. “Neste trecho, todos concordaram em permanecer na Bahia. Há demandas nas localidades de Bela Vista e Placas, por exemplo, na divisa da Bahia, de pessoas que têm títulos ainda emitidos pelo estado de Goiás. Esses títulos estão espalhados pelo Brasil, e volta e meia aparece algum aventureiro reclamando a posse destas terras”, reforça Odacil, que vem representando a Aiba e os demais agricultores nesta esfera junto ao Governo do Estado.

 

Na oportunidade, o deputado estadual Eduardo Salles reforçou que o vice-governador da Bahia, João Leão, tem cobrado mais ação dos secretários na Vila Panambi (área de divisa entre Bahia e Tocantins). “Esta é uma terra que é da Bahia, e precisamos fazer com que quem ali vive, sinta-se acolhidos pelo estado da Bahia, e não por Tocantins”. Os agricultores solicitaram dos deputados celeridade na assinatura de um convênio entre os dois estados, de acordo com as regras definidas pela Aiba e o Sindicato Rural dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães, como forma de pacificar a questão.

 

Ao contribuir com o debate, o presidente da Bahia Farm Show e da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Celestino Zanella, acredita que esta oportunidade é fundamental para levar os pleitos dos agricultores dentro de uma esfera que pode prejudicar, e até mesmo inviabilizar, a atuação dos produtores rurais na região. Também foram debatidos dentro da sessão itinerante questões como as altas taxas dos cartórios e a burocracia nos processos de licenciamentos ambientais. Cinco deputados marcaram presença na sessão: Luiz Augusto (PMDB), Heber Santana (PSC), Gika Lopes (PT), Samuel Júnior (PSC) e Eduardo Salles (PP). O presidente da Aiba, Celestino Zanella, e o presidente da Abapa contribuíram com o debate.

 

 

Fonte: Ndia Borges - Araticum Comunicao

Fonte: Lem News

Com a  abertura da 13ª edição do Bahia Farm Show, é grande a expectativa

O desafio de reunir em um só local as principais inovações tecnológicas do agronegócio mundial será mais uma vez posto à prova, a partir desta terça-feira (30), durante a Bahia Farm Show 2017. Pelo 13º ano consecutivo, a Feira vai concentrar, em Luís Eduardo Magalhães (BA), todos os elos da cadeia que mais gera emprego e renda no País. De um lado, empresas dos setores de máquinas e implementos agrícolas, consultores e técnicos, ansiosos por mostrarem as principais inovações. E do outro, pequenos, médios e grandes agricultores que buscam melhorar o desempenho no plantio, colheita, e, consequentemente, uma maior produtividade no campo. Tudo isso, regado a créditos e juros facilitados pelas instituições financeiras públicas e privadas presentes nos cinco dias de evento, que segue até o próximo sábado (03).


A cerimônia de abertura teve início ontem por volta das 10h, na Praça do Complexo Bahia Farm, e contou com a presença de autoridades políticas, representantes das instituições financeiras e agricultores de toda a área de abrangência do Matopiba (fronteira agrícola que reúne os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia). Os convidados estão sendo recepcionados pelos anfitriões do evento, os presidentes da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Celestino Zanella, e da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Júlio Cézar Busato.


Na opinião de Zanella, que também preside a Feira, o está sendo realizado em um momento propício para a agricultura nacional. “No oeste da Bahia, tivemos a melhor safra dos últimos cinco anos, principalmente na cultura da soja. Esses resultados, aliados às condições facilitadas de crédito, nos deixam confiantes de que os agricultores irão investir em tecnologia e se preparar para as próximas safras”, afirma. A organização espera manter as cifras das três últimas edições, quando a Bahia Farm Show ultrapassou a marca de R$ 1 bilhão em volume de negócios fechados.

 

Mais de 60 mil pessoas devem circular pelo Complexo Bahia Farm Show até o sábado (3), onde terão à disposição cerca de 600 marcas de maquinários, sementes, implementos e softwares. Outro grande atrativo é Leilão de Gado de Corte da Acrioeste, sob a batuta da Bahia Farm Show. Neste ano, o evento ocorre pela quarta vez consecutiva. Pecuaristas da região e de outros estados poderão arrematar, na sexta-feira (2), cerca de 500 bezerros, bezerras, garrotes e novilhas das raças zebuínas Nelore e Guzerá e das raças europeias Angus e Aberdeen Angus e seus cruzamentos industriais. Todos com alto padrão genético, excelente procedência, e em condições facilitadas de pagamento.

 

Inovação - Considerada uma das maiores feiras de tecnologia agrícola do Brasil, a Bahia Farm Show 2017 vai ser espaço também para compartilhar conhecimento sobre inovações tecnológicas e para debater temas relacionados ao cotidiano dos agricultores. No dia da abertura, a partir das 14h, o tradicional Fórum do Canal Rural, vai tratar sobre o “Potencial Hídrico do Oeste da Bahia”. O debate será transmitido ao vivo para todo o Brasil pelo Canal Rural. Logo depois, será realizada a sessão itinerante da Câmara de Agricultura da Assembléia Legislativa da Bahia, quando os agricultores da região terão a oportunidade de levar as suas demandas para os deputados baianos.

Hoje quarta-feira (31), grande destaque para o lançamento das novas cultivares de algodão Bollgard II RR Flex, da parceria entre a Fundação Bahia e Embrapa. Dentre elas, está a cultivar BRS 433 FL B2RF, considerada o primeiro algodão transgênico de fibra longa, enquadrando-se nas preferências na indústria têxtil para fabricação de tecidos finos. Serão ao todo cerca de 25 palestras distribuídas em três espaços – auditório da Fundação Bahia e dois auditórios no pavilhão coberto - que vão abordar temas como regularização fundiária, agricultura sustentável, irrigação inteligente, dentre outros. A grade oficial de palestras e debates na feira pode ser acessada no http://www.bahiafarmshow.com.br/programacao/.

 

Para ter acesso à feira será cobrado o ingresso de R$ 10,00, sendo R$ 2,00 revertidos para o Hospital do Oeste, por meio do programa “Ingresso Solidário”. A Bahia Farm Show é organizada pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), com o apoio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Fundação Bahia, Associação dos Revendedores de Máquinas e Equipamentos Agrícolas do Oeste da Bahia Ltda. (Assomiba) e Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães.

Fonte: ARATICUM COMUNICAO

Fonte: Lem News


Cada vez mais sustentável e social, o agronegócio do oeste da Bahia tem mostrado a sua atuação fora do campo, melhorando a vida de pessoas carentes da região, por meio do Fundo para o Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Bahia – Fundesis. A 13ª edição da Bahia Farm Show foi palco, logo na sua abertura, nesta terça-feira (30), de novas adesões de agricultores ao Fundo, que financia projetos sociais.


Resultado de uma parceria, iniciada em 2006, entre a Associação de Agricultores e Irrigantes – Aiba e o BNB. Os recursos são obtidos por meio de negociações de custeio dos produtores associados à Aiba junto ao BNB de Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e Correntina.


“Em 11 anos da atuação já foram lançados seis editais, com investimentos de mais de R$ 3,5 milhões em 81 projetos sociais, de 51 instituições de 13 municípios”, disse o superintendente estadual do banco, Antônio Jorge Guimarães. Ele acrescentou que as execuções dos projetos geram empregos temporários e fixos, além do desenvolvimento da economia como um todo.


Para o presidente da Aiba, Celestino Zanella, o sucesso do Fundesis é uma ‘canalização de esforços’. “Esta é a nossa contribuição com o social, cada projeto realizado é uma demonstração do comprometimento do produtor que doa uma parcela dos financiamentos de custeio de suas lavouras para o programa, e por outro lado, está o banco, oferecendo condições mais vantajosas aos produtores”, disse.


Os recursos são destinados a creches, abrigos, orfanatos, pré-escolas centros culturais e esportivos, podendo ser empregados na construção de sedes próprias, reformas, aquisições de mobiliários, equipamentos e outros avanços. Cada instituição pode receber até 50 mil por projetos, com contrapartida de até 25% em serviços e bens. O edital lançado em março de 2017, contemplando R$ 600 mil, recebeu 45 projetos oriundos de instituições de vários municípios da região, e os mesmos serão analisados para aprovação até 15 de junho.


Presente na cerimônia de assinatura, o vice-governador João Leão conclamou os demais agentes financeiros para também apoiarem o projeto, a exemplo do BNB. “Faço aqui uma convocação para bancos como a Caixa Econômica, Banco do Brasil e outros para aderir a este projeto que garante a melhoria da qualidade de vida de a tantas pessoas do nosso oeste baiano”, finalizou. Assinaram termo de adesão os agricultores Valter Gatto e Marcelo Koppes.


 

Fonte: ARATICUM COMUNICAO
Prefeito demonstrou confiança na retomada de investimentos

Animação foi a palavra de ordem proferida pelo Prefeito Oziel Oliveira ao recepcionar o Presidente da DESENBAHIA -Agência de Fomento do Estado da Bahia , Otto Alencar Filho e Equipe Tecnica da Agência que os acompanha para a participação na BAHIAFARMSHOW.

Otto Alencar Filho afirmou aí Prefeito e ao Presidente da AIBA , Celestino Zanella , que a equipe está determinada a investir nos projetos da região :



"Não mediremos esforços para recepcionar e avaliar com dinâmica os projetos apresentados na Feira , teremos recursos disponíveis e prazos de até quinze anos para pagamento dos projetos financiados , o que facilitará em muito a viabilidade de muitos planos dos produtores e empresários da região ".
Disse o Presidente .

Para Oziel , a hora é de ousadia e sabedoria para aproveitar as oportunidades de uma grande safra e cooptar negócios que fiquem definitivamente na região na geração de emprego e renda:



" Estamos trabalhando para diminuir os impactos de qualquer fator que possa ser negativo, nossos esforços estão todos concentrados para a retomada da atração de investimentos que tragam resultados para toda a sociedade , vender produtos é bom , mas industrializar o que produzimos é muito melhor.

O maior obstáculo até aqui é a falta de capacidade energética e este já estamos trabalhando com o Governador Rui Costa para supera-lo,"
destacou Oziel .

Fonte: ASCOM, prefeitura de LEM
31
Mai/17

MCA AUTO CENTER

 

Fonte: Lem News

Cortes na pele, dependendo da profundidade, podem atingir outros tecidos e provocar sangramentos. Muitas vezes são necessárias suturas de emergência para contê-los. Pensando nisso, Joe Landolina, um jovem cientista de Nova York, nos Estados Unidos, criou um gel feito com algas marinhas capaz de estancar qualquer ferimento em apenas 12 segundos. O produto foi criado pelo jovem norte-americano quando ele tinha apenas 17 anos e era estudante de engenharia química biomolecular na Universidade de Nova York. Atualmente, Landolina é cofundador e CEO da empresa de biotecnologia Suneris, que produz o gel. Quando aplicado sobre a ferida, os minúsculos polímeros presentes nas algas se espalham sobre a superfície do tecido e produzem coágulos, interrompendo o sangramento. Segundo o criador, o gel funciona como uma peça de Lego, encaixando-se no ferimento.

Fonte: Veja

 

Fonte: Lem News

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos confirmou nesta terça-feira que realizou com sucesso um teste de intercepção de um míssil balístico intercontinental a partir da base de Vandenberg, na Califórnia, uma manobra destinada a garantir a efetividade do sistema antimíssil do país em meio às crescentes tensões militares com a Coreia do Norte.

A interceptação ocorreu sobre o Oceano Pacífico, como estava inicialmente previsto, quando um foguete lançado da base californiana destruiu um míssil continental disparado do Atol de Kwajalein, nas Ilhas Marshall.

“Se trata de um êxito incrível para o Ground-Based Midcourse Defense (GMD) [sistema de interceptação de ogivas] e um marco crítico neste programa. O sistema é de vital importância para defesa de nosso país, e esse teste mostra que temos um elemento de dissuasão capaz e crível contra uma ameaça muito real”, disse em comunicado o vice-almirante Jim Syring, diretor da Agência de Defesa de Mísseis.

É a primeira vez que o Pentágono intercepta um projétil de alcance internacional. Antes do lançamento desta terça-feira, o sistema GMD só havia atingido com sucesso seus alvos em nove de 17 testes desde 1999. O último foi realizado em 2014.

O teste ocorreu dois dias depois de a Coreia do Norte ter disparado um míssil que percorreu 450 quilômetros. A área continental dos EUA fica a cerca de 9 mil quilômetros do país norte coreano. Mísseis balísticos intercontinentais possuem um alcance mínimo de cerca de 5.500 quilômetros, mas alguns são projetados para viajar 10 mil quilômetros ou mais.

Fonte: Veja

 

Fonte: Lem News

Falar sozinho não é coisa de louco e, na verdade, faz muito bem à saúde. Inclusive, estudos mostram que os diálogos solitários permitem que escutemos a nós mesmos e assim ajudam a melhorar a concentração e organização dos pensamentos e até mesmo recuperar memórias e criar autoconfiança.

Memória

Um estudo da faculdade mostrou que falar o nome de um objeto em voz alta enquanto o procura ajuda a encontrá-lo mais rapidamente. Segundo os pesquisadores, dizer uma palavra em voz alta ajuda o cérebro a ativar informações relacionadas ao objeto em questão, até mesmo imagens. “Não é algo que se faz irracionalmente. Você não sabe tudo o que vai dizer”, explicou à Gary Lupyan, professor envolvido no estudo, à rede britânica BBC.

“Dizer um nome em voz alta é uma poderosa ferramenta de recuperação”, destacou Lupyan. “Pense nisso como uma placa apontando para um pedaço da informação na mente. Ouvir o nome exagera algo que normalmente acontece quando você pensa em alguma coisa. A linguagem impulsiona este processo”.

Confiança

Outra pesquisa, da Universidade de Michigan, indicou a importância de conversar sozinho para a autoconfiança e a capacidade de enfrentar desafios. No entanto, é preciso utilizar as palavras certas, isto é, os pronomes certos.

Os pesquisadores realizaram uma série de testes com pessoas descrevendo suas experiências emocionais, mas referindo-se a si mesmas na terceira pessoa. As pessoas usavam palavras como “ele”, “ela”, “você” ou seus próprios nomes para contar suas histórias.

Fonte: v
31
Mai/17

CLEITON VECULOS

 

Fonte: Lem News

Pelo menos 80 pessoas morreram e 350 ficaram feridas no atentado com carro-bomba ocorrido nesta quarta-feira, em uma área de alta segurança de Cabul, capital do Afeganistão, perto do Palácio Presidencial, onde se encontram várias embaixadas e edifícios do governo, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério de Saúde Pública.

A explosão aconteceu por volta das 8h25 (0h55 de Brasília),  perto da Praça Zanbaq, em uma área próxima às embaixadas da Alemanha, Turquia e Japão, afirmou um representante ministerial, Wahidullah Majroh.

O porta-voz da polícia de Cabul, Basir Mujahid, disse que as primeiras investigações apontam que o veículo, um pequeno caminhão do serviço de rede de esgoto, foi carregado de explosivos e detonado em uma região de bastante movimento de pessoas. “O alvo não está ainda claro, mas foi perto da Embaixada da Alemanha”, afirmou o porta-voz da polícia, lembrando que o local está cercado e que as investigações continuam.

Fonte: Veja

 

Fonte: Lem News

A Procuradoria-Geral da República e os negociadores da holding J&F, controladora da empresa JBS, chegaram a um acordo no valor de R$ 10,3 bilhões da multa que deverá ser paga pela empresa para a assinatura do acordo de leniência. O montante, a ser pago em 25 anos, representa, segundo o Ministério Público Federal, o maior para esse tipo de acordo no mundo. Considerando a correção, a projeção é que o total a ser pago pela J&F, o chamado valor futuro, alcance cerca de R$ 20 bilhões.

O acordo, que deverá ser assinado nos próximos dias, inclui fatos investigados nas operações Greenfield, Sépsis e Cui Bono, além da Bullish e da Carne Fraca. Do total a ser pago, R$ 8 bilhões serão destinados à Fundação dos Economiários Federais (Funcef) (25%), à Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros) (25%), ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) (25%), à União (12,5%), ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) (6,25 %) e à Caixa Econômica Federal (6,25%).

“O restante da multa, R$ 2,3 bilhões, será pago por meio de projetos sociais, especialmente nas áreas de educação, saúde e prevenção da corrupção. O prazo de pagamento foi fixado em 25 anos, sendo que, neste período, os valores serão corrigidos pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo [IPCA]”, diz nota do MPF.

Fonte: Veja

 

Fonte: L
voltar   home   subir  imprimir
  PUBLICIDADE


| Todos os Direitos Reservados |