LEM News - Notícias que realmente interessam!
(77) 9.9906-1346
DESTAQUES DO LEM NEWS
09
Mar/15

Casas Baiana

 

Fonte: Lem News

 

Fonte: Lem News

 

Fonte: Lem News

 

Fonte: Lem News

Um adolescente morreu quando tentava fugir da escola em Manhuaçu, na Zona da Mata mineira. Geberton Messias Gomes, de 13 anos, quebrou a coluna tentando pular o muro da instituição.

O rapaz estava acompanhado de outros 15 alunos. Segundo testemunhas, Gomes tentava escapar do diretor da escola quando sofreu o acidente.O socorro foi chamado e chegou rápido. Ele recebeu atendimento no local, mas morreu a caminho do hospital da cidade. A Polícia Civil abriu um inquérito para apurar as responsabilidades. Até agora ninguém foi ouvido.

Fonte: R7

 

Fonte: Lem News
09
Mar/15

Fbrica de Pastel

 

Fonte: Lem News

Leão, zebra, macaco e até girafa. Nenhum animal escapa da mira certeira de Michaela Fialova, uma bela mulher de 27 anos que vem causando revolta ao redor do mundo com suas fotos de caçadas bem sucedidas. Não bastasse isso, ela ainda coloca os animais mortos na frigideira e os come em frente as câmeras.

Fonte: R7

O Chade e o Níger lançaram uma ofensiva conjunta contra os jihadistas do Boko Haram em um novo passo da região para conter a insurgência sunita que controla partes do território da Nigéria e tem lançado ataques contra países vizinhos.

O grupo já expandiu sua influência para Camarões, Chade e Nigéria nos últimos meses. A cooperação entre os países para lidar com a insurgência, porém, tem sido limitada. Mais de 300 veículos participaram da operação.

O ataque marca a primeira incursão do Niger para combater o Boko Haram em território nigeriano. Até agora, o país apenas se defendia das invasões do grupo.

A ação ocorre após a Nigéria pedir ajuda internacional para combater o grupo Boko Haram, depois que o grupo jurou fidelidade ao Estado Islâmico.

— Nós podemos confirmar que forças do Chade e da Nigéria lançaram uma ofensiva nesta manhã a partir do Níger. A ofensiva continua — disse o coronel Azem Bermandoa, do Exército do Chade.




Fonte: G1

Uma criança de pouco mais de um ano de idade sobreviveu a um acidente automobilístico e ficou por 14 horas dentro de um carro parcialmente submerso em um rio nos Estados Unidos.

A menina de 18 meses foi encontrada pendurada de cabeça para baixo logo acima da água. Ela foi achada por um pescador na tarde de sábado.

A mãe do bebê dirigia por uma rodovia do Estado de Utah quando o carro bateu em uma barreira de cimento e caiu no rio. O acidente ocorreu durante a noite e por isso ninguém percebeu o que havia acontecido até o dia seguinte.

Bombeiros levaram a criança para um hospital em Salt Lake City, onde sua condição de saúde melhorou de crítica para estável.

A mãe, Lynn Groesbeck, de 25 anos, foi encontrada morta no banco do motorista.

Tarde da noite
Segundo o policial Cory Slaymaker, Groesbeck havia visitado seus pais na sexta-feira e saiu da casa deles por volta de 22h30.

O acidente aconteceu quando ela voltava para sua cidade, Springville.

O pescador só encontrou o veículo, parcialmente submerso, por volta de 12h30 do dia seguinte. "Os parentes não perceberam que elas estavam desaparecidas”, afirmou Slaymaker.

Três policiais e quatro bombeiros que entraram no rio Spanish Fork para prestar Socorro foram depois hospitalizados com hipotermia.

A polícia disse que não daria mais detalhes do caso.

Fonte: G1

Ganhar mais confiança e independência, ter a liberdade de escolher o que fazer e aprender mais sobre outras culturas. São esses alguns dos motivos que levam brasileiras a viajarem sozinhas, de acordo com um estudo do site TripAdvisor.

A pesquisa ouviu 9.852 usuários de dez países. Das 671 brasileiras, uma em cada quatro afirmou que costuma viajar sozinha e planeja repetir a experiência de duas a quatro vezes nos próximos 12 meses.

As razões principais apontadas para partir em viagens solo foram a liberdade de escolher o que querem fazer (65%) e a falta de tempo ou recursos financeiros de amigos e familiares para embarcarem com elas (30%).

Para elas, viajar sozinha ajuda a ganhar mais independência (50%), confiança (52%) e a aprender sobre outras culturas (51%).

Segurança
Segundo a pesquisa, no mundo as australianas e as britânicas estão entre as viajantes mais independentes, com 81% afirmando que planejam viajar sozinhas neste ano.

Quando questionadas sobre as precauções que costumam tomar quando estão sozinhas, a maioria diz que evita lugares desertos (61%) e procura não se comportar como um turista típico (45%).

As atividades favoritas das brasileiras são atrações culturais (88%) gastronomia local (70%) ecompras (48%).

Outro resultado da pesquisa mostra que 66% das brasileiras viajam constantemente apenas com amigas ou familiares do sexo feminino.

Fonte: G1
09
Mar/15

Fontana e Klein

 

Fonte: Lem News
09
Mar/15

Virtual PP

 

Fonte: Lem News

 

Fonte: Lem News

 

Fonte: Lem News

No início da noite de ontem, sábado, 7, por volta das 19h30, uma guarnição da CIPE/Cerrado realizava ronda na Rua Enedino Alves da Paixão, no Bairro Santa Cruz, quando parou um indivíduo a bordo de uma motocicleta sem placa e com visíveis sinais de adulteração. 

Durante busca pessoal no condutor da moto, um menor de 17 anos, foi localizado em seu bolso uma pequena quantidade de maconha. A moto não possui numeração visível no chassi e nem no motor.

A moto, o entorpecente e o menor foram apresentados na delegacia de polícia.

Fonte: Sigi Vilares

Fonte: Lem News

 

Fonte: Lem News

A morte do universitário Humberto Moura Fonseca, de 23 anos, em uma festa em Bauru, no sábado passado, após a ingestão de 25 doses de vodca, não é uma situação tão incomum no país. Dados levantados pelo jornal O Estado de S. Paulo no portal Datasus mostram que,a cada 36 horas, um jovem brasileiro morre de intoxicação aguda por álcool  ou de outra complicação decorrente do consumo exagerado de bebida alcoólica.

De acordo com informações do Ministério da Saúde reunidas no portal, foram registradas em 2012, último dado disponível, 242 mortes na faixa etária dos 20 aos 29 anos causadas por "transtornos por causa do uso de álcool", conforme definido na Classificação Internacional de Doenças (CID).

Considerando todas as faixas etárias, o número de mortes causadas pelo álcool chegou a 6.944 em 2012, quase o dobro do registrado em 1996, dado mais antigo disponível na base Datasus. Naquele ano, foram 3.973 óbitos associados ao consumo exagerado de bebida. No período, a alta no número de mortes foi de 74%.

De acordo com especialistas, o número de mortes associadas ao álcool deve ser ainda maior se computadas as causas secundárias, como doenças provocadas pelo consumo por um longo período de tempo ou violência associada à ingestão da bebida. "Se considerados problemas como cirrose hepática ou acidentes causados por embriaguez, por exemplo, esse dado sobe", diz Deborah Malta, diretora do Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis do Ministério da Saúde.

Pesquisadora do Instituto Nacional de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas da Universidade Federal de São Paulo (Inpad/Unifesp), Clarice Madruga afirma que o consumo excessivo de álcool em todas as faixas etárias vêm crescendo nos últimos anos. Pesquisa da Unifesp mostra que, entre os brasileiros que consomem álcool, o hábito chamado de "beber em binge", quando há ingestão de pelo menos cinco doses de bebida em um período de duas horas, cresceu de 45%, em 2006, para 59%, em 2012.

"E esse abuso é mais comum entre jovens, porque nessa faixa etária é realmente mais difícil controlar os impulsos. Por isso não se pode culpar a vítima ou os pais. É preciso que o poder público intervenha na venda de bebida", defende ela.

A especialista explica que o consumo exagerado de álcool, quando não chega ao ponto de levar à morte, está associado a uma série de problemas físicos e psíquicos. "No caso da intoxicação, é uma relação simples. O álcool em excesso paralisa o sistema nervoso e, se a pessoa entrar em coma alcoólico e não tiver o devido cuidado, pode sofrer a parada cardiorrespiratória. Além disso, o álcool causa doenças no fígado, perda cognitiva e ainda pode desencadear de forma mais rápida e mais severa doenças como a depressão e o transtorno de ansiedade."

Estudante de Construção Civil em uma faculdade da capital paulista, J., de 19 anos, diz que o fácil acesso à bebida colabora para o consumo exagerado. "Eu mesmo estava tentando beber menos, mas, quando entrei na faculdade, no início do ano, era muita bebida. Os veteranos passavam com as garrafas e ofereciam, aí não tem como não beber", conta ele, que começou a consumir bebida alcoólica aos 14 anos.

Para Clarice, "a situação não vai mudar enquanto o governo não sobretaxar a indústria e proibir situações como o patrocínio de empresas cervejeiras a festas universitárias". A representante do ministério diz que o governo tem feito ações de monitoramento e prevenção do uso de álcool e que o governo apoia projetos de lei que dificultam o acesso à bebida. "Esperamos que a lei que criminaliza a venda de bebida para menores de idade entre em vigor o mais rápido possível", diz Deborah.

 

Fonte: G1
09
Mar/15

Luciano Garcia

 

Fonte: Lem News
voltar   home   subir  imprimir
  PUBLICIDADE


| Todos os Direitos Reservados |