LEM News - Notícias que realmente interessam!
(77) 9.9906-1346
DESTAQUES DO LEM NEWS
21
Nov/14

Luciano Garcia

Fonte: LemNews

Os alunos da UFOB continuam em frente à Câmara de Vereadores de Luís Eduardo Magalhães, eles protestam contra a derrubada do projeto de doação de área para edificação do prédio da Universidade.

A Manifestação começou na manhã de hoje, 20, e promete ir noite à dentro.

 

Os Alunos levaram barracas de acampamento e disseram que não vão sair enquanto uma solução não for apresentada.

Fonte: Informelem

Fonte: LemNews

Fonte: LemNews

Um novo balanço divulgado pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) revela que subiu para 1.848 o número de casos suspeitos de chikungunya em 68 municípios baianos, até quarta-feira (19). Até o dia 12 de novembro, haviam sido notificados 1.755 situações em 57 cidades.

De acordo com o boletim estadual, as cidades com casos confirmados são: Feira de Santana (563), Riachão do Jacuípe (196), Salvador (2), Alagoinhas (1), Cachoeira (1) e Amélia Rodrigues (1).

A Sesab destaca que as pessoas que contraíram o vírus chikungunya têm algum tipo de vínculo com Feira de Santana. Segundo a secretaria, entre os casos notificados, 28 foram hospitalizados.

A faixa etária mais atingida compreende os adultos, entre 20 e 49 anos. A maioria dos casos ocorreu em mulheres (66,54%).

Entenda o vírus
A infecção pelo vírus chikungunya provoca sintomas parecidos com os da dengue, porém mais dolorosos. No idioma africano makonde, o nome chikungunya significa "aqueles que se dobram", em referência à postura que os pacientes adotam diante das penosas dores articulares que a doença causa.

Em compensação, comparado com a dengue, o novo vírus mata com menos frequência. Em idosos, quando a infecção é associada a outros problemas de saúde, pode até contribuir como causa de morte, porém complicações sérias são raras, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O vírus chikungunya pode ser transmitido pelo mesmo vetor da dengue, o mosquito Aedes aegypti, e também pelo mosquito Aedes albopictus, e a infecção pelo chikungunya segue os mesmos padrões sazonais da dengue, de acordo com o infectologista Pedro Tauil, do Comitê de Doenças Emergentes da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI). O risco aumenta em épocas de calor e chuva, mais propícias à reprodução dos insetos. Eles picam principalmente durante o dia. A principal diferença de transmissão em relação à dengue 

Fonte: G1

Fonte: LemNews

Fonte: LemNews

De acordo com a Polícia Civil, o corpo da vítima foi encontrado na tarde desta quinta-feira, 20, por volta das 17h 30, no povoado de Nanica, município de Barreiras/BA, com profundas lesões nos ombros, pescoço, tórax do lado esquerdo e cabeça.

Cleiton Santos Silva, 21 anos foi morto a golpes de foice, por seu colega conhecido pelo apelido de Negão. Eles moravam em um quarto nos fundos da residência dos pais da vítima, o casal Adjamar Santos Silva e Maria Adriana Santos Silva, em um dos lotes do Projeto da Codevasf. “Foi morar lá a convite do meu filho”, disse o pai do jovem assassinado.

O quintal é longo e o casal não ouviu qualquer discussão entre os rapazes. Agentes investigadores também disseram que Cleiton e o criminoso se conheceram através da dependência química. “Seu Adjamar afirma que ambos usavam drogas diariamente no local”, comentou um policial.

A delegacia de homicídios tenta localizar o suspeito. Ele Falta dois dedos de uma das mãos e possui o desenho de um jacaré tatuado nas costas.a

Fonte: SigiVilares
21
Nov/14

Grfica Imperial

Fonte: LemNews

Fonte: LemNews

Evento encerrado nesta quinta-feira, 20, em Barreiras, reforçou a necessidade de mais investimentos para a universalização dos serviços de água e esgoto

A Embasa participou das principais discussões dos rumos do Saneamento Básico durante a terceira edição do Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental (III Cobesa), encerrado nesta quinta-feira (20), na Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB) em Barreiras. Com o tema “Gestão ambiental e do saneamento básico: desafios para o desenvolvimento sustentável”, a empresa contribuiu com a participação em palestras, mesas-redondas e inscrição de projetos técnicos e artigos científicos.

Presente na mesa de abertura, o presidente da Embasa, Abelardo de Oliveira Filho, defendeu a criação de um Fundo Nacional de Saneamento Básico para reforçar os investimentos como forma de universalizar os serviços de água e esgoto no País. “Embora houvesse uma ampliação significativa do atendimento da Embasa nos últimos oito anos, estima-se a necessidade de R$ 17 bilhões em investimentos para a universalização destes serviços para todos os baianos”. Esta necessidade também foi reforçada pelo Prof. Dr. Luiz Roberto Santos Moraes, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), que, durante a palestra de abertura, também defendeu um instrumento do Fundo para mais investimentos no setor.

Além da mesa de abertura, o presidente da Embasa também proferiu a palestra “Saneamento Básico: Universalização e subsídio”, na qual argumentou que a cobrança da tarifa, atualmente a única modalidade amparada pela Lei Nacional de Saneamento Básico para o custeio da operação dos sistemas e de novos investimentos, é insuficiente para universalizar a cobertura de água e esgoto. Abelardo de Oliveira Filho também contribuiu com o debate da regulação dos serviços de água e esgoto em regiões metropolitanas, a exemplo de Salvador, ao integrar a mesa redonda “Saneamento Básico em regiões metropolitanas: titularidade, desafios e perspectivas”.

Programação – Ainda na programação oficial, a Embasa integrou as discussões sobre “Concessão, privatização e Parceria Público-Privada”, durante mesa redonda com a participação do Diretor Técnico e de Sustentabilidade, César Ramos, e a participação social na gestão dos serviços públicos de saneamento, com a engenheira Maria Teresa Chenaud. A produção técnica dos funcionários da Embasa também foi destaque no evento. Cerca de 16 funcionários apresentaram ao longo do congresso 10 trabalhos técnicos, sobre temas ligados a esgotamento sanitário e política, gestão e participação social.

A Embasa também proporcionou uma maior interatividade em seu estande institucional, por meio de jogo de perguntas e respostas sobre saneamento básico, com direito a brindes. Os participantes do III Cobesa puderam interagir com os serviços prestados pela Embasa por meio de registros dos investimentos no oeste da Bahia, a exemplo do início da operação de esgoto em cidades como Canápolis, Ibotirama, Muquém do São Francisco e Luís Eduardo Magalhães e ampliação da cobertura em Barreiras.

Fonte: Ascom Embasa
21
Nov/14

Gacea Unopar

Fonte: LemNews

Fonte: LemNews

De acordo com a Polícia Civil, o corpo da vítima foi encontrado na tarde desta quinta-feira, 20, por volta das 17h 30, no povoado de Nanica, município de Barreiras/BA, com profundas lesões nos ombros, pescoço, tórax do lado esquerdo e cabeça.

Cleiton Santos Silva, 21 anos foi morto a golpes de foice, por seu colega conhecido pelo apelido de Negão. Eles moravam em um quarto nos fundos da residência dos pais da vítima, o casal Adjamar Santos Silva e Maria Adriana Santos Silva, em um dos lotes do Projeto da Codevasf. “Foi morar lá a convite do meu filho”, disse o pai do jovem assassinado.

O quintal é longo e o casal não ouviu qualquer discussão entre os rapazes. Agentes investigadores também disseram que Cleiton e o criminoso se conheceram através da dependência química. “Seu Adjamar afirma que ambos usavam drogas diariamente no local”, comentou um policial.

A delegacia de homicídios tenta localizar o suspeito. Ele Falta dois dedos de uma das mãos e possui o desenho de um jacaré tatuado nas costas.

Fonte: lemnews/alalsalomo

Os alunos da UFOB continuam em frente à Câmara de Vereadores de Luís Eduardo Magalhães, eles protestam contra a derrubada do projeto de doação de área para edificação do prédio da Universidade.

A Manifestação começou na manhã de hoje, 20, e promete ir noite à dentro.

 

Os Alunos levaram barracas de acampamento e disseram que não vão sair enquanto uma solução não for apresentada.

 

 

Fonte: Lemnews/Informelem

Apesar da seca na região Sudeste, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) prevê uma safra recorde de cereais, leguminosas e oleaginosas. O aumento em relação a 2014 será de 2,5%, segundo a estimativa divulgada nesta terça-feira (11).

De acordo com o primeiro prognóstico para o próximo ano, o volume foi estimado em 198,3 milhões de toneladas.

“Para 2015, nesse prognóstico, 61,9% é prognóstico - são informações vinda do campo. Já tem soja sendo plantada, arroz para ser colhido ano que vem. E 38% é projeção, é baseado em média dos últimos anos. Então, para esse cálculo, a gente usou os últimos cinco anos. Não são só em função de clima, mas o mercado é outro determinante. A recuperação do preço estimula novos plantios. Quanto mais caro o produto, incentiva o produtor a produzir. Para 2015, a gente já começa prognóstico de uma safra recorde, maior do que 2014”, disse Mauro Andre Andreazzi, gerente da Coordenação de Agropecuária do IBGE.

Entre os seis produtos de maior importância, analisados para a próxima safra de verão, segundo o IBGE, cinco apresentam variações positivas na produção: feijão 1ª safra (11,0%), amendoim (em casca) 1ª safra (10,7%), soja (9,0%), arroz (em casca) 1,4% e o milho 1ª safra (0,3%). O algodão herbáceo registrou variação negativa na produção, de 8%.

"A seca ocorreu agora. Sul está normal, Centro-Oeste está normal. Sudeste já devia começar a chover, Sudeste que está atrasado com a chuva, mas os grandes centros produtores de grãos, estão normais. Nordeste começa [a chover] mais tarde, em janeiro".

Segundo o gerente do IBGE, a região Centro-Oeste tem se tornado, a cada ano, a maior produtora de grãos. "E ela é grande produtora de gado, que tem sido alimentado em áreas menores, e os grandes pastos estão dando lugar para grandes plantações. Quem tem puxado esse recorde é a região Centro-Oeste.”

Já a previsão de outubro da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginos em 2014 totalizou 193,5 milhões de toneladas, valor 2,8% superior à obtida em 2013 (188,2 milhões de toneladas), e maior 16.050 toneladas na comparação com o levantamento de setembro de 2014.

De acordo o gerente, desde 2012 (quando ocorreu forte estiagem no Sul e Sudeste), a região Centro-Oeste tem puxado a produção de grãos.

“Café, laranja e grãos (cana-de-açúcar), esses produtos que são produzidos na região Sudeste foram muito prejudicados pela estiagem esse ano. Janeiro é um período que deveria estar chovendo, e está vermelho [não choveu tanto]. A região Sudeste foi prejudicada esse ano. Os principais produtores de cana-de-açúcar são São Paulo e Minas. O que cai é o rendimento dela. Em vez de tirar 80 toneladas, está tirando 70 toneladas por equitares”, explicou Mauro Andre Andreazzi.

Os três principais produtos desse grupo são arroz, milho e soja. Somados, representaram 91,4% da estimativa da produção e responderam por 85,0% da área a ser colhida.

Entre as grandes regiões, o volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas apresentou a seguinte distribuição: Centro-Oeste, 82,1 milhões de toneladas; Região Sul, 72,3 milhões de toneladas; Sudeste, 17,8 milhões de toneladas; Nordeste, 15,8 milhões de toneladas e Norte, 5,5 milhões de toneladas.

Na estimativa de outubro em relação a setembro, tiveram destaques as produções de café canephora (4,0%), sorgo (3,2%), algodão herbáceo (1,8%), café arábica (-0,5%), feijão 3ª safra (-2,4%), feijão 1ª safra (-2,6%), feijão 2ª safra (-4,5%), trigo (-5,2%) e cana-de-açúcar (-7,1%).

Fonte: G-1

Fonte: Lem News

Os danos à saúde decorrentes do uso de medicamentos hormonais esteroides, também conhecidos como anabolizantes ou “bombas”, podem se manifestar somente anos depois que foram utilizados. “Quando o paciente vê alguma doença grave provocada pelo uso dessas substâncias, ele sequer recorda que a utilizou no passado”, alerta o Dr. Raymundo Paraná, médico chefe do serviço de Hepatologia do Hospital Universitário da UFBA (Universidade Federal da Bahia). De acordo com ele, essas drogas têm sido cada vez mais utilizadas para terapias ilegais de antienvelhecimento e modelação do corpo (fitness).
 
Pelo uso de anabolizantes ser ilegal, é comum que os pacientes não relatem o uso aos seus médicos, o que dificulta o diagnóstico. Outro fator preocupante são pessoas que prescrevem essas drogas convencendo irresponsavelmente os usuários de que não há riscos, mas somente benefícios. “Existem profissionais pouco confiáveis que incentivam muitos jovens à utilização de anabolizantes, principalmente em academias. Infelizmente, existem médicos e outros profissionais de saúde que também fazem o mesmo”, lembra o Dr. Paraná.
 
Essas drogas são parecidas com o hormônio masculino testosterona, e sua utilidade com propósito não   terapêutico predispõe a pessoa ao desenvolvimento de doenças do fígado, como acúmulo de gordura no órgão (Esteatose e Esteato-Hepatite), dilatação dos canais sanguíneos (Peliosis) e até mesmo tumores (Adenoma e Hepatocarcinoma).

“A combinação de medicamentos da testosterona e do Estanazolol com outros remédios como Oxandrolona pode causar alteração na coagulação do sangue e predispor o paciente a sangramentos em qualquer parte do corpo, principalmente no fígado e no cérebro”, alerta o médico. Além disso, o fígado é apenas um dos órgãos afetados, mas há efeitos adversos nos testículos, próstata, vasos sanguíneos, coração, músculos e rins.
 
A estes medicamentos se somam ainda hormônios como o GH, ainda não validados cientificamente para uso nesta finalidade. Não raro se usam injeções que só são indicadas para tratar diabetes, mas que são irresponsavelmente prescritas para aumentar a perda da gordura visceral.

Neste contexto estão também os suplementos alimentares sem efeito terapêutico comprovado e com risco de toxicidade, principalmente aqueles que acompanham os chamados termogênicos. Estes compostos possuem fórmulas diferentes em cada marca, ou mesmo diferentes formulas manipuladas, mas não apresentam comprovações de eficácia e segurança (efeitos adversos). Ademais, muitos trazem substâncias reconhecidamente perigosas para o fígado como o chá verde (Camelia Sinensis), a Yombina e a erva Cavalinha (Germander). Estas substâncias possuem farta documentação de toxicidade ao fígado na literatura médica científica.
 
Habitualmente, só uma pequena parcela dos pacientes com hepatite tóxica acaba diagnosticada, pois  o paciente apresenta os sintomas leves da doença.  Nas formas mais graves de toxicidade por  esteroides anabolizantes só o diagnosticado precocemente  consegue reverter o quadro. “Ainda assim, muitas pessoas terão de lidar com sérias sequelas pelo resto da vida. Dependerá do medicamento usado, das combinações que fez e do tempo de exposição a essas drogas”, afirma.

Os motivos de tanta popularidade destas práticas são diversos, mas podem ser resumidos na má fé ou ignorância dos profissionais que as prescrevem, como também no fácil acesso a informação não científica da internet. Habitualmente, existe acesso aos materiais publicitários, os quais não têm compromisso com a ciência médica. “Os riscos e os danos à saúde pelo uso destes compostos são relatados em sites científicos, a maioria em língua inglesa”, mas a estes o paciente não tem acesso, pontua Paraná.
 
Sobre o Zambon do Brasil 
Com mais de 200 colaboradores, a unidade brasileira do Zambon, localizada em São Paulo, é a quarta maior do grupo e referência para as demais subsidiárias. As três principais áreas de atuação do laboratório são: saúde feminina, dor e inflamação e respiratória. Em seu portfólio, o Zambon do Brasil possui uma linha de produtos com mais de 30 apresentações, entre eles medicamentos como Fluimucil® (acetilcisteína), Monuril® (fosfomicina trometamol) e Spidufen® (ibuprofeno arginina). 

Fonte: Paran Shop

Fazer o pré-natal não é mais exclusividade da grávida. Os pais que acompanham a gestação da companheira também podem receber cuidados e realizar exames. A iniciativa, do Ministério da Saúde, busca preparar o homem para o exercício da paternidade ativa e incentivar a população masculina a cuidar mais da saúde.

Chamada de Pré-natal do Parceiro, a estratégia inclui a realização de exames de rotina, de testes rápidos, da atualização da carteira vacinal e da participação nas atividades educativas nos serviços de saúde. Caso necessário, serão solicitadas consultas complementares e também a realização de outros exames preventivos.  

 A iniciativa incentiva o apoio à parceira durante toda a gestação, além dos cuidados básicos com o recém-nascido, como as orientações que favorecem à amamentação até os 2 anos de idade e, exclusivamente até os 6 meses do bebê, conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O intuito é gerar vínculos afetivos saudáveis e qualidade de vida para todos da família.

O programa atualmente está presente em diversos municípios – incluindo São Paulo, Rio de Janeiro, São Luís, Salvador, Goiânia, Maceió, Teresina, entre outros – e faz parte da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH).

Fonte: Blog Spot
20
Nov/14

Fbrica de Pastel

Fonte: LemNews
voltar   home   subir  imprimir
  PUBLICIDADE


| Todos os Direitos Reservados |