LEM News - Notícias que realmente interessam!
(77) 9.9906-1346
Bahia

O Fundo Chinês para Investimento na América Latina (Clai-Fund) e a China Railway Engineering Group n.10 (Crec), uma das maiores construtoras chinesas, vão investir, construir e operar o Porto Sul e a Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol), em associação ao Governo do Estado e a Bahia Mineração (Bamin). Os acordos, que marcam o início de um período de negociação que vai determinar os detalhes da operação, foram assinados em Pequim pelo governador Rui Costa, o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, e os representantes das empresas asiáticas. “Os Chineses possuem a tecnologia mais avançada e experiência de sobra para fazer essas obras avançarem na velocidade que a Bahia precisa. Nossos projetos entusiasmaram os dirigentes da Crec e Clai-Fund, e isso permitiu estabelecermos aqui um acordo histórico, que vai viabilizar os investimentos e destravar de uma vez por todas essas obras importantes para a Bahia”, defendeu Rui.

O Clai-Fund é uma organização que se concentra em investimentos industriais de empresas em cooperação entre a China e a América Latina. Ele atuará como principal investidor e captador de novos parceiros para o projeto, principalmente grandes siderúrgicas chinesas. Já a Crec n.10 é uma das maiores construtoras de ferrovias do mundo, responsável, por exemplo, pela construção da Transiberiana, a linha férrea que liga os extremos da Rússia e tem mais de nove mil quilômetros de extensão. A estimativa é de um investimento de R$ 2,6 bilhões, sendo R$ 2,2 bilhões para as obras e R$ 400 milhões em equipamentos.

Além do Porto Sul, o acordo inclui quatro trechos da Ferrovia de Integração Oeste Leste, entre Ilhéus e Caetité, que estão em fase final de construção e serão concluídos. Para viabilizar o investimento Chinês na ferrovia, o governo federal já iniciou os estudos para que seja feita a venda antecipada da capacidade operacional da ferrovia, com os recursos obtidos sendo usados na conclusão da obra e a empresa garantindo o direito a transportar suas cargas por determinado período de tempo. Quando estiver em plena operação, o complexo poderá movimentar 55 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, além de outras cargas, como grãos e fertilizantes, e se as negociações avançarem como se espera até o fim do ano as obras seriam iniciadas.

Fonte: bh notcias

Em 2015, acidentes ocupacionais infectaram com o vírus do HIV e da hepatite 31 trabalhadores da área de saúde na Bahia. Os dados são do Sistema de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (Sinan), vinculado ao Ministério da Saúde. De acordo com a enfermeira e especialista em Controle de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde da empresa Sol-Millennium, Karine de Araújo, o número é considerado elevado, mas pode ser agravado se considerado os casos não notificados.

Fonte: BH Notcias
Pedido de policiamento das imediações foi reiterado

A Universidade Federal da Bahia vem acompanhando com atenção e preocupação o agravamento, nos últimos dias, da situação de segurança, tal como tem sido relatado por membros da comunidade universitária. Ela tem origem, sobretudo, fora dos espaços da UFBA, mas não deixa de afetar os campi de Salvador, mesmo que parte significativa dos episódios ocorra em suas imediações.

A Administração da Universidade tomou providências imediatas, aumentando a equipe de vigilância nos pontos mais sensíveis e reforçando as rondas internas, realizadas com motos. Além disso, foram intensificados os contatos com a PM e a polícia civil, solicitando a presença de agentes na área externa da UFBA nos locais e horários mais críticos. Também estão sendo intensificadas providências de iluminação, limpeza de áreas verdes, visando à melhoria das condições de vigilância e segurança dos campi.

Fonte: UFBA

Dois homens foram presos no final da semana passada, no município de Mascote, sul da Bahia, quando faziam abordagens em moradores, fingindo serem policiais. A dupla foi surpreendida por policiais militares da cidade de Camacan, a cerca de 26 quilômetros de Mascote, que pediram a identificação dos homens.

Segundo a PM de Camacan, Natanael Dantas Messias, de 26 anos, e Diego da Silva Calazans, de 27, foram presos em flagrante, por volta das 20h, com um par de algemas, uma pistola calibre 380 e dois carregadores com 24 cartuchos.

A dupla foi presa em flagrante e levada para a delegacia de Itabuna, também no sul da Bahia, onde é localizada a coordenadoria regional.

Fonte: G-1

Daslu: com dívidas de R$ 85 milhões, a rede de lojas, que mudou de mãos no fim do ano passado, deu início a uma forte reestruturação e se prepara para virar franquia

A Daslu, marca que já foi conhecida como "Templo do Luxo" e acabou envolvida em um dos maiores escândalos de sonegação fiscal do país, tenta mais uma vez se reerguer.

Com dívidas de R$ 85 milhões, a rede de lojas, que mudou de mãos no fim do ano passado, deu início a uma forte reestruturação e se prepara para virar franquia.

O controle da varejista de luxo foi adquirido por um grupo de investidores, entre eles o empresário baiano Crezo Suerdieck Dourado e o advogado Felício Rosa Valarelli Junior.

Publicidade

</div> <div id='passback-wbe6cbe0518'></div>

O empresário, conhecido na Bahia como DJ Crezinho, é um dos herdeiros da família Suerdieck, que chegou a ser a maior fabricante de charutos e cigarrilhas do Brasil, mas acabou fechando as portas em 2000.

Comprador de empresas em dificuldade, Crezo é dono, desde o fim de janeiro, do jornal A Tarde, o maior do Nordeste.

Ele e o advogado aportaram R$ 11 milhões na empresa Moda Brasil, que, por sua vez, comprou 52% das ações da Daslu, controlada desde 2011 pelo Laep Investments.

O fundo, do controverso empresário Marcus Elias, arrematou 100% da rede de lojas de luxo durante o processo de recuperação judicial e não conseguiu tirar a empresa da crise.

Em 2014, ele começou uma peregrinação no mercado em busca de investidores, mas a situação da Laep e de Elias - afastado do mercado financeiro pela Justiça sob acusação de ter realizado operações fraudulentas - dificultou o processo, segundo apurou o jornal O Estado de S. Paulo.

Hoje, a Daslu tem sete lojas - quatro em território paulista e as outras no Rio, no Distrito Federal e em Recife. Assim que assumiram o controle da rede, os novos donos, sócios da DX3 Investimentos, contrataram o executivo Elizeu Lima para reestruturar a operação.

Com passagens por empresas como Lojas Americanas, H.Stern e Vivara, Lima está na presidência da rede desde dezembro de 2015. "Os últimos três anos não foram fáceis para a Daslu", diz o executivo. "Há muito o que fazer e o que enxugar."

Em menos de dois meses, segundo ele, foram demitidos 40 funcionários, de um total de 180. Os contratos de aluguéis foram revistos e o escritório passou a ocupar o mesmo prédio do centro de distribuição. O próximo passo é diminuir o tamanho das lojas para uma área padrão de 200 m².

A ideia, segundo Lima, é que a maior unidade seja a do shopping JK Iguatemi, em São Paulo, com 300 m² - hoje, a área é cinco vezes maior.

O modelo de negócio também deve mudar. Além de franquear a rede, os novos donos pretendem trazer marcas internacionais para a loja - iniciativa que foi abandonada quando o fundo Laep assumiu a rede e passou a trabalhar apenas com a marca própria.

"Não queremos trazer megagrifes, como na época da Eliana Tranchesi, mas marcas novas, que ainda não têm presença no Brasil", diz Lima.

Nos próximos dias, a Moda Brasil vai acrescentar ao seu portfólio de marcas, a rede Thelure, da empresária Luciana Faria, neta do antigo dono do Banco Real.

Com faturamento de R$ 25 milhões e altamente endividada, a rede tem duas lojas próprias e 14 licenciadas, que também devem ser convertidas em franquia.

"Há muitas oportunidades de negócio como essas no mercado de varejo", diz Douglas Carvalho Jr., fundador da butique de fusões e aquisições Target Advisor, que assessorou a Daslu e a Thelure nos dois negócios.

"O que temos visto são marcas fortes e consolidadas, que simplesmente têm operado no vermelho e caminham para a recuperação judicial."

Fonte: Exame

A cantora Daniela Mercury fez uma brincadeira com os foliões ao chegar ao final do circuito Dodô, na madrugada desta segunda-feira (8). “Quero propor um beijo hetero aqui”, disse dando risada, ao passar em frente ao Camarote Salvador. A “Rainha Má” chegou em Ondina seguida não só pelos foliões do bloco Crocodilo, mas também por centenas de pessoas na pipoca. Daniela aproveitou para cumprimentar o prefeito ACM Neto e cantou a canção em homenagem ao título de Cidade da Música, recebido por Salvador em 2015.

Fonte: BH Notcias

Nos três primeiros dias de carnaval, em Salvador, 626 crianças e adolescentes foram flagradas em situação de trabalho infantil nos circuitos da cidade. Do total, 296 no Circuito Osmar (Campo Grande) e 330 no circuito Dodô (Barra-Ondina), informou a prefeitura.

Por conta do alto número, a partir deste domingo (7), órgãos da prefeitura - secretarias municipais de Ordem Pública (Semop) e de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza (Semps) - junto com o Ministério Público da Bahia e o Conselho Tutelar estão intensificando a fiscalização contra o trabalho infantil. A atuação terá foco, principalmente, no comércio informal dos dias de folia e vai até terça-feira (09), último dia oficial de carnaval.

Os ambulantes que forem identificados com crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil, nos circuitos do carnaval, poderão ter a licença municipal cassada por até um ano.

Segundo os responsáveis pela fiscalização, 87 ambulantes permitiram que os menores fossem levados para um dos quatro postos de acolhimento montados nos circuitos. As quatro estruturas funcionam em quatro escolas municipais, temporariamente, até a quarta-feira de cinzas (10).

Nas equipes de fiscalização atuam assistentes sociais, psicólogos, pedagogos, educadores sociais e pessoal de apoio. O objetivo é cumprir o Estatuto da Criança e do Adolescente e a lei municipal que proíbe o funcionamento de qualquer estabelecimento que utilize mão de obra de crianças e adolescentes.

Fonte: Planeta Osasco

A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) identificou que eram da mesma família as quatro pessoas quemorreram em acidente na BA-265, em Vitória da Conquista, região sudoeste da Bahia, na manhã de domingo (31). Segundo informações da PRE, pai, mãe, um filho de nove meses e um enteado de 12 anos morreram na tragédia.

Ainda de acordo com a PRE, a família é natural do Paraná e retornava para casa com um carregamento de cerveja, quando o motorista do veículo perdeu o controle da direção e capotou a carreta em uma curva perto ao Anel Rodoviário Jadiel Matos.

Acidente
Os quatro ocupantes da carreta morreram após o motorista do veículo perder o controle da direção, sair da pista e capotar, na manhã deste domingo, na altura do Km-23 da BA-265, próximo ao Anel Rodoviário Jadiel Matos, em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia.

O condutor de uma moto que passava pelo local, no momento do acidente, se assustou com o capotamento da carreta e caiu da moto, junto com o carona. Os dois tiveram ferimentos leves.

As duas pessoas que estavam na motocicleta foram socorridas por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levados até o Hospital Geral de Vitória da Conquista.

Fonte: g1

música "Lepo Lepo", lançada pelo grupo baiano Psirico, foi pelo segundo ano consecutivo a mais tocada em shows no Brasil. A informação foi divulgada pelo Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad). A lista com as canções mais executadas no país em 2015 foi divulgada nesta quinta-feira (28).

Além de "Lepo Lepo", "Porque Homem Não Chora", hit do cantor Pablo, também figurou entre as mais tocadas. Completam o ranking das cinco mais as canções "Maus Bocados", gravada por Cristiano Araújo, "Jeito Carinhoso", por Jads & Jadson, e "Domingo de Manhã", Marcos & Belutti.

O Ecad também divulgou a lista dos autores que mais receberam direitos autorais em apresentações. No topo da lista estão os cantores e compositores Sorocaba, Roberto Carlos, Dave Grohl, Marcelo Camelo e Erasmo Carlos.

No segmento Música ao Vivo, o ranking é liderado por Djavan, seguido por Lulu Santos, Renato Russo, Caetano Veloso e Nando Reis. Já em Rádio, quem mais faturou com execuções foi Bruno Caliman, Anderson Freire, Roberto Carlos, Sorocaba e Nando Reis.

O órgão informou ainda que em 2015 foram distribuídos R$ 771,7 milhões a 155.399 titulares de música (compositores, intérpretes, músicos, editores e produtores fonográficos) e associações. Desse total, 68% foram repassados para o repertório nacional.

Confira a lista das 10 músicas mais tocadas em shows no Brasil em 2015:
1. "Lepo Lepo" (Magno Santana/Filipe Escandurras)
2. "Maus Bocados" (Gerson Gabriel/Rafael/Bruno Varajão)
3. "Jeito Carinhoso" (Allê Barbosa)
4. "Domingo de Manhã" (Bruno Caliman)
5. "Porque Homem Não Chora" (Ronny dos Teclados)
6. "Gordinho Gostoso" (Dj Ivis)
7. "Até Você Voltar" (Juliano Tchula/Marília Mendonça)
8. "Não tô Valendo Nada" (Henrique Tavares/Juliano)
9. "Logo Eu" (Samuel Deolli/Filipe Labret)
10. "Fui" (Fabio O'Brian/Pablo/Magno Santana/Filipe Escandurras)

 

 

Fonte: A Tarde

O número de casos notificados de microcefalia na Bahia subiu para 533, de acordo com boletim da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). Os dados são de outubro de 2015 até a última segunda-feira (25). Até o dia 18 de janeiro, eram 496 casos suspeitos da doença no estado.

É considerado microcefalia o nascimento de bebês com perímetro cefálico menor ou igual a 32 centímetros. Na Bahia, 93 municípios registram casos suspeitos. Salvador tem o maior número de incidência (309), correspondendo a 58% do total de casos.

O maior número de mortes relacionadas à doença também é na capital baiana, onde três crianças já morreram. Foram notificados mais sete óbitos nos municípios de Camaçari (1), Itabuna (1), Olindina (1),  São Sebastião do Passé (1), Tanhaçu (1), Itapetinga (1) e Campo Formoso (1).

A Sesab corrigiu o número de óbitos que constava no boletim divulgado no último dia 12. Segundo a pasta, as mortes anunciadas em Alagoinhas e Crisópolis, na verdade, correspondiam a registros em Salvador e São Sebastião de Passé.

A Sesab informou as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor do zika vírus, que é associado a casos de microcefalia.

O governo diz que diversas ações de pesquisa e desenvolvimento tecnológico estão em curso para combater o mosquito, dentre elas, destaque para o teste rápido para dengue e chikungunya.

A Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) fará aquisição de 200 mil testes rápidos para que seja possível identificar os casos de dengue e chikungunya e, por exclusão e exames clínicos, diagnosticar a zika, visto que até o momento não há teste em escala comercial.

Fonte: g1 BA

As gêmeas siamesas baianas, Júlia e Fernanda Neves, separadas no último dia 13, no Hospital Materno Infantil (HMI), em Góias, permanecem na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica.

Segundo o boletim médico divulgado no final da tarde desta sexta-feira, 22, o estado de saúde das meninas é grave. "Júlia continua respirando com a ajuda de aparelhos e Fernanda respira com o auxílio de oxigênio inalatório", afirmou o comunicado.

Apesar das dificuldades financeiras para se manterem na cidade, e com a saúde delicada das filhas, os pais  estão confiantes e ansiosos. "Nossas expectativas são as melhores possíveis. Esperamos elas se recuparem logo e poder voltarmos para casa", disse Valdenir Neves, pai das garotas.

As gêmeas nasceram na cidade de Itamaraju (a 745 quilômetros de Salvador). Mas em agosto do ano passado seus pais decidiram levá-las para Góias, onde a operação foi realizada pelo cirurgião Zacharias Calil.

O hospital não deu previsão de alta. E pede jutamente com o Hemocentro de Goiás (Hemogo) doações de sangue O positivo para as meninas, e resaltam que outros tipos sanguíneos também são bem-vindos.

Fonte: a tARDE

Recorte efetuado pela SEI-Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia, com base em dados da PNAD-Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios realizada pelo IBGE-Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística referente ao período de 2002 a 2014, apresentado  pelo órgão subordinado à Seplan-Secretaria de Planejamento do Estado, mostra ter ocorrido uma queda no número de crianças de 5 a 9 anos trabalhando na Bahia da ordem de 82%, significando que 31 mil crianças deixaram o trabalho infantil.

Na faixa dos 10 aos 13 anos a redução chegou aos 68% (114 mil crianças deixaram o trabalho infantil), com a proporção de ocupação dessa faixa etária passando de 14,7% em 2002 (quando a PNAD passou a disponibilizar a análise desse segmento) para 5,4% em 2014, conforme o diretor de Pesquisa da SEI, Armando Castro. A análise aponta a redução de aproximadamente 351 mil crianças e adolescentes na faixa etária de 5 a 17 anos em trabalho infantil no estado, no período mencionado, passando de 647 mil para 296 mil em situação de trabalho.

A exploração do trabalho infantil, apontada como “principal chaga que atinge o país” pela superintendente da SEI, Eliana Boaventura, apresenta, ainda, cerca de 51 mil ‘pessoas’, entre 5 e 13 anos, na condição ilegal de trabalho no estado. Segundo a PNAD, a população baiana entre 5 e 9 anos, correspondia a 1,4 milhão de pessoas em 2002 e 1,2 milhão em 2014. Destes, cerca de 7 mil trabalhavam na semana de referência da pesquisa, em 2014, contra 38 mil em 2002. Os números indicam que a porcentagem da população em situação de trabalho, nessa faixa etária, reduziu-se de 2,6% para 0,6% no período, sem considerar, contudo, a redução nas oportunidades de trabalho.

Para a faixa etária entre os 14 e 15 anos, quando já é possível trabalhar de forma legal na condição de aprendiz, verificou-se uma redução de 41% (72 mil adolescentes deixaram o trabalho infantil) em situação de trabalho no período – sendo que 104 mil estavam ocupadas em 2014, o equivalente a 16,3% da população dessa faixa etária. A PNAD não permite determinar qual proporção destas adolescentes são menores aprendizes. O estudo também não identifica os territórios de identidade do estado onde há maior índice de ocorrência da exploração do trabalho infantil, mas, considerando-se a população de 16 e 17 anos, observa-se um contingente de 131 mil ocupados em 2014, o equivalente a 23,8% da população dessa faixa etária. Em relação a 2002 a redução foi de 133 mil ocupados.

De acordo com o diretor de Pesquisa da SEI, nas zonas urbanas do estado (principalmente no âmbito do setor de Serviços), o trabalho para crianças de 5 a 9 anos estaria próximo da erradicação, restando, em 2014, 0,3% de crianças desta faixa etária em situação de trabalho. A taxa de trabalho infantil na zona rural, com atuação no setor agrário, conforme avaliação da SEI, “passou de 5,7% para 1,5% entre 2002 e 2014 para o grupo de 5 a 9 anos”. Na faixa dos 10 aos 13 anos de idade, no mesmo período, “passou de 26% para 10,4%”.

Vale salientar, todavia, que para estas faixas, qualquer forma de trabalho é considerada inadequada, de acordo com a Constituição de 1988. Para o grupo de 14 e 15 anos pode haver menores aprendizes ou estagiários, assim como o grupo de 16 e 17 anos de idade, sendo que neste grupo já é possível ter carteira assinada, desde que o trabalho não envolva risco de vida, seja noturno ou insalubre.

Fonte: ltimo Segundo

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) vai entregar nesta quarta-feira (13) um selo de qualidade aos cursos de direito que são recomendados pela entidade. Dos 139 cursos contemplados no Brasil, nove estão na Bahia. Em Salvador, integram a publicação a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), a Faculdade Baiana de Direito e Gestão, a Universidade Federal da Bahia (Ufba) e a Universidade Salvador - Unifacs. No interior foram recomendados os cursos da Uneb de Juazeiro, da Faculdade Nobre de Feira de Santana (FAN), da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Os 139 cursos recomendados em todo o país, representa aproximadamente 10% dos mais de 1.300 que existem no Brasil. O selo de qualidade é atualizado a cada três anos e tem como critérios de avaliação os índices de aprovação no Exame de Ordem Unificado e de aprovação no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes). “O Selo de Qualidade OAB Recomenda é uma forma de estimular a qualidade do ensino jurídico do Brasil, um convite a que as demais faculdades possam também ingressar nesse seleto time de bons índices de aprovações nos exames", explica o presidente nacional da Ordem, Marcus Vinicius Furtado Coêlho.

Fonte: bh notcias

Carla Verde, 36 anos, garante que foi ela mesma o motivo da bronca que Ivete Sangalo deu no marido Daniel Cady em um show em Guarajuba, litoral norte da Bahia, na sexta, 1. Depois que Daniel desmentiu que seria Carla a pessoa com quem ele estaria conversando no momento em que Ivete reclamou do palco, Carla tem sua versão da história. "É aquela coisa, estão botando matéria para apagar o incêndio. A Ivete não ia dar uma crise daquele sem ter porque, né? Eu acho que isso aí é para apagar incêndio", diz ela, que nega que tenha rolado um clima entre ela e o marido de Ivete. "O que eu estava tratando na conversa não era paquera, era voltada ao Réveillon, ao calor, a multidão que estava ali mesmo depois da passagem do ano", explica Carla. "Não teve paquera."

Carla, que trabalha como apresentadora da programação infantil do carnaval de Salvador, não tem nada que prove que ela esteve no show. "Não tenho convite porque logo quando ele é vendido, na catraca, ele é tomado de volta novamente. E no camarote eu subi porque tinha acesso. Já que trabalho no carnaval, encontrei amigos lá que organizam as coisas e por isso tive acesso", explica ela.

"Fiquei muito sem graça"

Carla conta que não sabia que Daniel era marido de Ivete. "A gente estava conversando quando ela olhou para a frente e falou aquelas coisas. Aí que eu tive noção de que ele é esposo dela. O comportamento dela não sei se foi para brincar, mas todo mundo ficou olhando e viu que a pessoa de quem ela estava falando era eu. Fiquei muito sem graça. Eu estava ali para assistir ao show dela, com a finalidade de me distrair, fui para o show como qualquer outra pessoa vai", conta ela.

"Criticaram o comportamento 'machão' de Ivete"

A repercussão do caso, segundo Carla, está sendo negativa até para ela, que tem sido atacada nas redes sociais. "Eu não esperava essa repercussão porque eu não sabia que ele era esposo dela. Eu só vi que era esposo dela quando a vi falando no palco. Muitas pessoas me criticaram. Mas como ganhei 1500 seguidores no Facebook, também teve gente que me apoiou. As pessoas criticaram o comportamento dela meio de 'machão'", conta Carla. "Fãs de Claudia Leitte também me deram apoio. E tem gente me desmoralizando, dizendo que sou vagabunda sem saber o que aconteceu."

"Não posaria nua"

Carla nega que posaria nua e que seja oportunista. "Dei uma entrevista para o jornal Extra e colocaram coisas que eu não tinha falado. Disseram que eu procurei o jornal para poder me esclarecer, sendo que eles que me ligaram, e colocaram na matéria coisas que eu não falei. Me perguntaram se eu posaria nua e eu disse que não. Como é que acontece uma coisa dessas e eu faria isso? Sou mãe de família, como vou posar nua?"

Foi no Facebook que Carla disse que era ela a moça com quem Daniel e ainda deu "conselho" para a cantora. "Ivete confie no seu taco! Essa de ciúme de Daniel seu esposo conversando comigo no camarote! 'Quem é essa papai, cheia de assunto!' Ainda falou que ia passar a zorra em mim! Kkkk É uma piada... Meu nome é Carla Verde... Que estresse é esse...". Ela apagou a postagem  horas depois.

Fonte: Folha Max

A partir deste sábado (2), o Pelourinho inicia uma programação especial de verão com mais de 80 shows até o dia a 31 de janeiro. As apresentações vão acontecer nos largos Pedro Arcanjo, Tereza Batista e Quincas Berro D’Água, com atrações que misturam estilos como axé, reggae, samba e música afro.

Os ingressos custam de R$ 5 a R$ 70, mas há também opções gratuitas. Ensaios de carnaval e projetos de verão são os principais destaques. Afrodisíaco, Araketu, Tatau, Baiana System, IFÁ Afrobeat, Curumim, Los Sebosos Postizos, Atabasabar, Terças do Olodum, Verão do Bailinho, OQuadro, Amanda Santiago, Gerônimo, Cortejo Afro, Muzenza, Bankoma, entre outros, fazem parte da programação.

Outro destaque é o Festival de Música e Artes do Olodum (Femadum), maior festival de música afro do país, realizado nos dias 9 e 10. “É uma grande oportunidade para baianos e turistas conhecerem um pouco da história afro-brasileira. É muito interessante vivermos isso”, afirma o analista de sistemas baiano Marco Figueiredo, que há oito anos mora em Brasília e passa as férias em Salvador.

A programação completa do Pelô da Bahia está disponível no site do Centro de Culturas Populares e Identitárias.

Fonte: Correio da Bahia

Apesar de solicitar uma nova suplementação de R$ 151 milhões, o Tribunal de Justiça da Bahia possui, sem empenho, receita de R$ 160 milhões segundo o secretário da Fazenda, Manoel Vitório. De acordo com o titular da Fazenda, houve uma operação, tocada pelo próprio governador Rui Costa, para buscar disponibilizar recursos para tentar evitar a suspensão do pagamento dos servidores. “Houve um primeiro aporte do Poder Executivo na ordem de R$ 124 milhões. No dia 18, veio um novo pedido de suplementação de R$ 151 milhões. Este novo pedido ocasionou uma convocação do governador, da Secretaria da Fazenda e Planejamento, para que se vasculhasse dentro do estado quais seriam as alternativas para suprir este novo pedido. Quando fizemos a varredura, vimos que tínhamos alguma disponibilidade no Tribunal de Contas do Estado, do Município e no próprio Tribunal de Justiça. O governador então ligou para os presidentes e estes permitiram a utilização dos recursos e mais alguma coisa. A partir da semana passada, foi disponibilizado R$ 85 milhões para o Tribunal de Justiça. Nesta semana se somou R$ 10 milhões e agora estão no aguardo do Tribunal entrar no sistema e fazer os lançamentos”, explicou Vitório, nesta quarta-feira (30).

Fonte: BH Notcias

A Bahia retirou cerca de 351 mil crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos do trabalho infantil entre os anos de 2002 e 2014, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD-IBGE), divulgados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) nesta terça-feira (22). O número de crianças submetidas a essa condição passou de 647 mil para 296 mil.

Em números detalhados, a SEI apontou que, na feixa de 5 a 9 anos, a queda foi de 82%, ou 31 mil crianças. Da faixa de 10 aos 13 anos, a redução foi de 68%, o que representa a saída de 114 mil crianças. Entre as idades de 14 e 15 anos, quando é possível trabalhar na condição de aprendiz, a redução foi de 41%, ou 72 mil adolescentes - desse total, 104 mil estavam ocupadas em 2014, o equivalente a 16,3% da população dessa faixa etária. Segundo o SEI, entre 16 e 17 anos, houve um contingente de 131 mil ocupados em 2014, ou seja, 23,8% da população dessa faixa etária. Em relação a 2002, a redução foi de 133 mil.

O mesmo estudo demostrou que, nas zonas urbanas do estado, a erradicação do trabalho para crianças de 5 a 9 anos está próximo. Isso porque, em 2014, 0,3% de crianças desta faixa etária em situação de trabalho. A taxa de trabalho infantil na zona rural também caiu, passando de 5,7% para 1,5% entre 2002 e 2014; de 10 aos 13 anos de idade, passou de 26% para 10,4%. Nesses casos, qualquer forma de trabalho é considerada inadequada.

Para o grupo de 14 e 15 anos, pode haver menores aprendizes ou estagiários, o mesmo o que ocorre para os de 16 e 17 anos, mas, nesse caso, também já é possível obter carteira assinada. A pesquisa mostrou que o número de crianças que só estudam passou de  76,2% para 87,3% entre 2002 e 2014, em detrimento dos grupos “trabalha e estuda”, “só trabalha” e “nem trabalha e nem estuda”.

Fonte: G-1

Um protesto a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff começou por volta das 10h (Horário da Bahia) no Farol da Barra, em Salvador, neste domingo dia 13. Segundo a Polícia Militar, cerca de 500 manifestantes participaram da manifestação, que ocorreu de forma pacífica. De acordo com um dos organizadores, a estimativa é de que o ato reuniu cerca de mil pessoas. Um outro grupo calculou a participação de duas mil pessoas no que chamaram de "auge" da manifestação.

Vestidos de verde e amarelo, os manifestantes levaram faixas e cartazes. Por volta das 12h40, a mobilização começou a se dispersar e cerca de dez minutos depois, o ato chegou ao fim.

Um dos participantes, César Leite afirmou que representa o movimento "Vem Pra Rua" e a Ordem Dos Médicos do Brasil na Bahia. Ele diz que outros quatro grupos organizaram o protesto: movimentos "Brasil Livre" e "Nas Ruas". "O sentido do protesto é manter vivo o espírito do impeachment", afirmou o manifestante.

Por meio de comunicado oficial, a PM informou que 261 policiais militares atuaram para manter a segurança no local e também no entorno do Farol da Barra, um dos principais pontos turísticos da capital baiana.

Ainda conforme a PM, até por volta das 11h, "nenhum fato anormal tinha sido registrado pelo comando do policiamento presente na Barra. Os protestos ocorrem sem registros de atos violentos ou confrontos".

O ato dos manifestantes foi acompanhado por um mini trio elétrico, onde um grupo de lideranças declarava palavras de ordem a respeito das intenções da manifestação contra o governo de Dilma Rousseff. Até o início da tarde, o protesto seguiu concentrado no Largo do Farol da Barra.

A médica Ana Almira Carneiro disse ter esperança no impeachment da presidente Dilma Rousseff. "Sou a favor do impeachment, contra a corrupção, em favor do juiz Sérgio Moro. Venho em todos os protestos que já aconteceram contra Dilma em Salvador", afirmou.

Fonte: G-1

Milhares de anos de recuperação para a mais antiga reserva natural dos mares brasileiros, o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, no sul do litoral da Bahia.

Essa é a previsão de desastre caso os rejeitos de minério que se espalharam com o rompimento de barragens da Samarco em Mariana (MG) atinja os recifes de corais de Abrolhos. 

A região é uma das mais importantes para o ecossistema do Brasil e trabalha com ações de proteção a golfinhos e tartarugas ameaçadas que vivem e se reproduzem apenas naqueles corais. 

Com o avanço da lama uma força-tarefa foi montada para reduzir possíveis impactos nas mais de 500 espécies da área. 

“Se a lama chegar a eles e impedi-los de respirar, serão milhares de anos de recuperação”, disse ao O Globo o professor da Universidade Federal do Espírito Santo Agnaldo Martins. Em Governador Valadares (MG), um monitoramento realizado na água indicou turbidez (um dos controles de qualidade da água) 80 mil vezes acima do tolerável. 

A quantidade de ferro encontrada em amostras foi 13,6 mil vezes acima desse limite, e a de alumínio, 6.500 vezes.

“Não sabemos a magnitude do impacto, já que não temos certeza sobre o que chegará. Se o padrão de impacto nas cabeceiras se mantiver, será um arraso na fauna e na flora” prevê João Carlos Thomé, coordenador nacional do Tamar/ICMBio, também em conversa com O Globo.

A mineradora Samarco, pertencente às empresas Vale e a anglo-australiana BHP, foi multada em R$ 250 milhões pelo Ibama.

A empresa diz estar executando sistema emergencial de monitoramento ambiental. Uma outra empresa foi contratada pela Samarco para diagnosticar a área atingida e elaborar um plano de recuperação.

Fonte: Correio da Bahia

Um tremor de terra assustou a população na madrugada desta sexta-feira (6), no Sudoeste do estado. O Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) e a Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec) registraram o tremor cidade de Iguaí, à 1h20. O abalo, de 3,16 graus na escala Richter, foi sentido ainda nos municípios de Firmino Alves, Nova Canaã, Itoróró e Ibicuí.

Segundo o coordenador de Ações Estratégicas da Sudec, Paulo Sérgio Menezes Luz, este foi o primeiro acidente do tipo registrado na região. Apesar de ser considerado de pequenas proporções, o tremor provocou rachaduras em pisos, paredes e queda de muros em algumas residências. Não houve vítimas.

Ainda de acordo com o coordenador, a causa mais provável do tremor foi a acomodação natural de terra, em virtude da falta de chuvas. "Como está chovendo pouco, os lençóis freáticos ficam menos preenchidos e a terra precisa se acomodar", disse Paulo Menezes.

O digitador Marques Humberto, 28 anos, morador da cidade de Iguaí, viu o chão e o forro da sua residência tremendo no momento do abalo. "Fui acordado pelo minha esposa no momento do tremor, ela estava bastante assustada com o que estava acontecendo. Felizmente, nada mais grave aconteceu", disse Humberto. 

A Sudec não descarta a possibilidade de que novos tremores voltem a acontecer. No entanto, o órgão acredita que, havendo outros abalos, eles serão menores do que o sentido nesta sexta-feira. A superintendência informou ainda que está trabalhando no sentido de tranquilizar a população das cidades onde o pequeno terremoto foi sentido.

O maior tremor de terra já registrado no Brasil ocorreu em janeiro de 1955, em Mato Grosso, na Serra do Tombador. O terremoto alcançou 6,2 na escala Richter. 

Escala Richter 
Criada em 1935 pelo sismólogo americano Charles F. Richter, ela foi desenvolvida para medir a magnitude dos terremotos, ou seja quantificar a energia liberada no foco do terremoto. Richter utilizou como base dados coletados e previamente analisados em terremotos anteriormente registrados.

A escala se inicia no grau zero e é, teoricamente, infinita, porém, nunca foi registrado um terremoto igual ou superior a 10 graus. Em locais habitados, os terremotos podem os seguintes efeitos:

Inferiores a 3,5 graus: raramente são notados;
De 3,5 a 5,4 graus: geralmente sentido, mas raramente causa danos;
Entre 5,5 a 6 graus: provocam pequenos danos em edifícios bem estruturados, no entanto, seus efeitos são arrasadores em edifícios de estrutura precária;
De 6,1 a 6,9 graus: causa destruição em áreas de até 100 quilômetros de raio;
De 8 a 8,5 graus: é considerado um abalo fortíssimo, causando destruição da infraestrutura.
De 9 graus: destruição total.

Fonte: G-1
voltar   home   subir  imprimir
  PUBLICIDADE


| Todos os Direitos Reservados |